Tag: #FalaJovem2020

“A vontade de não viver já foi bem grande devido a pandemia”, revela jovem carioca em entrevista ao Fala Jovem do Projeto Diversidade Sexual da ABIA


As mudanças impostas pelo novo coronavírus introduziu em nossos hábitos alguns cuidados que, pelo menos os brasileiros, não estavam tão familiarizados: lavar as mãos constantemente, uso de álcool gel, uso de máscaras, luvas, lavar roupas utilizadas na rua separada das roupas de casa etc. Contudo, existe um outro lado nem tão interessante assim desses novos […]

Leia Mais

“Apesar de estarmos conquistando espaço na sociedade, as comunidades são ambientes pretos esquecidas pelo poder vigente”, diz jovem professor da Baixada Fluminense


Educação é o que liberta, empodera e equaliza desigualdades. Também é um instrumento que combate opressões e dignifica o Homem. Ciente desse poder Douglas Caldeiras, de 28 anos, não teve como fugir da pedagogia. Morador de Nilópolis, menor município da Baixada Fluminense, o jovem é o entrevistado do mês de maio do Fala Jovem, seção […]

Leia Mais

“Sou do candomblé por amor mesmo”, revela a jovem e independente Cassiele Rodrigues, em entrevista ao Projeto Diversidade Sexual


Mulher. Mulher negra. Mulher negra jovem. Mulher negra jovem e candomblecista. Cada um de nós é composto e atravessado/a por várias intersecções, que nos dão identidade e um pertencimento ao mundo. Esses matizes, tal qual os versos e prosa de Caetano Veloso, nos caracterizam conforme “a dor e a delícia de ser o que é”. […]

Leia Mais

Jovem, homossexual e evangélico: conheça a história do estudante Luiz Felipe em entrevista ao Projeto Diversidade Sexual na ABIA


Dias de luta. Dias de glória. No pain, no gain (sem dor, sem ganho). É mais ou menos assim, oscilando entre altos e baixos, dia após dia que Luiz Felipe da Silva enxerga os obstáculos e as conquistas e objetivos traçados em sua vida. Aos 27 anos, o morador de Xavantes, em Belford Roxo, na […]

Leia Mais

“O que mais me choca no Brasil é a desigualdade de sonhos”, afirma Patrick Pereira, que dedica sua vida em prol dos direitos de jovens e adolescentes no Brasil


A canção diz “sonho meu/sonho meu/vai buscar/quem mora longe/sonho meu”. Os versos de Zeca Pagodinho, também imortalizado na voz de Maria Bethânia, poderia ser perfeitamente a composição mais autoral da vida de Patrick Pereira. Aos 18 anos, o jovem da distante Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro, não se furta de sonhar. Mesmo com […]

Leia Mais