Projeto Awon Obirin passa a oferecer atendimento online para público feminino vivendo com HIV/aids


Lançado no início de março deste ano, o Projeto Awon Obirin, cujo objetivo é o de proporcionar um atendimento acolhedor em autoestima, bem-estar e renovação para mulheres negras e não negras, LGBTQI+, jovens e adultas vivendo e convivendo com HIV, passa a oferecer atendimento online, para garantir os direitos ao cuidado à saúde dessa população durante o período de pandemia da Covid-19.

Micaela Cyrino, ativista e consultora do projeto, explicou que foi necessário adaptar os atendimentos, principalmente os atendimentos com a psicóloga. “Então, estamos divulgando novamente esse link porque ainda existem vagas de atendimento e entendemos que a saúde mental está sendo muito abalada neste momento. Também teremos uma programação online com rodas de conversas om pessoas convidadas, para também construir esse diálogo, que agora tem que ser online.”

Segundo o arte terapeuta e arte educador do projeto, Elandro Pereira, este momento atual de isolamento social, tem feito com que as pessoas despertem outros tipos de sensações e potencializem coisas negativas como a ansiedade, complexo de inferioridade, depressão e pensamentos suicidas. “A arte terapia funciona como um processo transformador de ressignificação de histórias, da busca da autocura e da plenitude do ser. Queremos que cada participante entenda a sua história e, a partir daí, transforme isso em uma coisa positiva”, observou.

Além da arte terapia, estão disponíveis no projeto atendimentos online nas áreas de fitoterapia, massoterapia e reiki.

Sobre o projeto Awon Obirin

O Awon Obirin vem de encontro às práticas em Educação Popular em Saúde e Cultura nas tradições de matriz africana, onde o ponto principal  é enxergar a pessoa como um todo, diante do cuidar.

O objetivo do projeto é atender a demanda de reinserir, diagnosticar e intensificar a saúde da população que esta acometida do HIV/aids e ou a convivência com esta questão, que ainda nos dias atuais requer cuidados e divulgação coletiva dentro das questões psicossociais que envolve o tema. Tema este também em relevância na política pública de Educação Popular em Saúde que é cuidar, acolher e escutar para além do consultório, medicamentos e internações, se colocando no lugar do outro e tendo uma forma diferenciada em cuidados.

Os profissionais envolvidos no Awon Obirin contribuem para o desenvolvimento das defesas imunológicas, psicológicas e de autoestima social, promovendo uma melhor qualidade de dignidade humana. Entre os serviços oferecidos estão atendimento psicológico, arte terapia, massoterapia, reflexologia, auriculoterapia, medicina natural, manicure, podologia e também  cuidadora e benzedeira na escuta e aconselhamento nas tradições de matriz africana.

Fonte: Redação Agência de Notícias da Aids

%d blogueiros gostam disto: