Os idosos com HIV têm risco aumentado de doenças crônicas associadas ao envelhecimento


Os idosos com HIV têm um risco aumentado de numerosas doenças crônicas associadas à idade avançada, relatam pesquisadores dos Estados Unidos no Scientific Reports. Essas condições incluíam diabetes, doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, doença pulmonar e demência. Os pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia demonstraram que a associação entre o HIV e o risco de doenças crônicas na terceira idade era independente dos fatores demográficos, comportamentais e outras comorbidades.

“Descobrimos que pessoas vivendo com HIV/aids eram mais propensas a ter condições crônicas, mesmo após o controle de características demográficas, fatores de risco comportamentais e outras comorbidades crônicas”, comentam os autores. “Nossas descobertas foram robustas em diferentes períodos de análise e sob diferentes detalhes do modelo”.

Foi demonstrado que o HIV tem um impacto no risco de doença crônica comparável ao associado ao tabagismo, sublinhando a importância de monitorar e tratar doenças associadas à idade avançada em pessoas com HIV.

Muitas pessoas com HIV têm um excelente prognóstico e podem esperar viver bem até a velhice. Nos EUA, aproximadamente 50% de todos os indivíduos HIV positivos têm agora mais de 50 anos e as doenças associadas à idade avançada são agora uma causa importante de doenças graves e morte nesses indivíduos. Além disso, as pessoas com HIV parecem desenvolver essas doenças em uma idade mais jovem do que seus pares HIV negativos.

Um grupo de pesquisadores liderados pelo Dr. Hsin-Yun Yang, da Universidade do Sul da Califórnia, queria obter uma visão mais clara da associação entre viver com HIV e o aparecimento de doenças crônicas. Em particular, eles queriam ver se a infecção pelo HIV aumentava o risco de tais doenças, independentemente de fatores demográficos e de estilo de vida, e também a presença de comorbidades pré-existentes. Este último é importante, pois muitas condições crônicas podem interagir, como o diabetes, que aumenta o risco de doença cardiovascular.

Eles, portanto, projetaram um estudo usando os registros médicos de mais de 9.000.000 de pessoas que receberam atendimento médico por meio de inscrição em um plano de seguro privado entre 2007 e 2016. Todos tinham 50 anos ou mais. Aproximadamente 25.000 eram HIV positivos.

Sete doenças crônicas eram de interesse dos pesquisadores: diabetes, hipertensão (pressão alta), derrame, câncer, doença pulmonar, doença cardiovascular e comprometimento cognitivo.

As características dos participantes diferiram de acordo com o status de HIV. As pessoas com HIV tinham maior probabilidade de ser do sexo masculino (74% vs 46%), negras (29% vs 10%) e ter uma renda anual abaixo de US $ 50.000 (46% vs 33%).

Fonte: Agência de Notícias de AIDS

%d blogueiros gostam disto: