Em Brasília, ONU realiza oficina para empresas sobre enfrentamento à discriminação LGBTI+


Foto: ACNUDH/Livres&Iguais.

A Campanha das Nações Unidas Livres & Iguais e seus parceiros realizaram uma oficina para profissionais de recursos humanos e responsabilidade social da iniciativa privada na Casa da ONU, em Brasília.

Foram debatidos conceitos e terminologias relacionados à comunidade LGBTI+ e detalhes dos Padrões de Conduta para Empresas – enfrentando à discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, pessoas trans e intersexo. O documento, elaborado pelo Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), visa fortalecer o envolvimento das empresas na promoção da igualdade de direitos e tratamento justo da população LGBTI.

A atividade aconteceu no dia 1º de novembro com a participação de parceiros da sociedade civil e da iniciativa privada. Mais de 20 empresas brasileiras integram a lista de apoiadores oficiais dos Padrões de Conduta do ACNUDH.

A oficina teve como proposta reunir profissionais de empresas privadas que atuam nas áreas de recursos humanos, responsabilidade social, sustentabilidade ou desenvolvimento para conhecerem melhor as diversas identidades LGBTI+ e suas respectivas demandas no ambiente de trabalho. Além disso, também foram apresentados na oficina os cinco padrões de conduta para o enfrentamento à discriminação LGBTI+ no setor privado.

Os profissionais participantes tiveram a oportunidade de aprender uma série de procedimentos para realizar um processo contínuo de gestão, considerando seu contexto de atuação, para se certificar de que a empresa está respeitando os direitos humanos.

Eles também puderam estudar alguns casos práticos e participar de uma mesa redonda com a presença de representantes da Ben&Jerry’s; da União Libertária de Pessoas Trans e Travestis; e do Grupo de Trabalho pela Empregabilidade Trans do Distrito Federal. Foram compartilhadas algumas boas práticas e sugestões de como construir um espaço livre de discriminação no mercado de trabalho.

Os cinco compromissos das empresas pela igualdade LGBTI+

%d blogueiros gostam disto: